26 de jun de 2013

ALAYLM: Capítulo 11 - He would not know us, or her



– Trouxe, mas pra que você quer isso? – Novamente ele franziu o cenho.

– Preciso sair de um castigo. – Ele riu. – Eu já te disse que minha mãe é maluca?

– Acho que não, mas não é muito difícil imaginar que ela seja. – Ele ainda ria.

– Então – Peguei o Cd de sua mão. – isso não é engraçado.

Me sentei na antiga cadeira de meu pai e coloquei o computador para ser iniciado. Justin se sentou em uma das cadeiras que haviam na mesma mesa aonde eu estava me olhando.

– Oque vai fazer? – Ele perguntou.

– Uma cópia.

– Pode ficar, não quero isso nem pintado de ouro. – Ele lambeu os lábios

– Obrigada. – Fui até a cadeira aonde Justin estava e me sentei em seu colo lhe dando vários selinhos.

– Isso tudo é por que você vai sair do castigo? – Ele riu.

– Sim, você acha que é bom ficar trancada dentro de um quarto. – Arqueei as sobrancelhas.

– Depende, se eu estiver com você. – Eu sorri feito uma boba. – Katheryn eu preciso ir.

– Oque? Logo hoje que minha  não está em casa? – Resmunguei.

– Tenho coisas a resolver, mas eu posso voltar mais tarde.

– Ah claro, minha mãe vai adorar sua visita. – Revirei os olhos.

– Eu posso voltar mais tarde.. – Ele abriu um sorriso sapeca em seu rosto.

– Quem sabe né... – Sorri junto a ele.

POV Justin

Após sair do palácio normalmente como se nada estivesse acontecido, como se eu fosse qualquer pessoa normal, fui até o lugar aonde encontraria Twist. Estacionei o carro e percebi que não havia muito movimento, como de costume. Chris não estava lá, e parecia que hoje seriamos apenas eu e Twist. Entrei naquele velho armazém e me joguei em um sofá velho que havia ali esperando qualquer movimento. Twist entrou pela porta segurando um cigarro e logo ficando em pé na minha frente.

– Trouxe? – Ele questionou soutando uma cortina de fumaça.

– Sim. – Respondi levantando do sofá, enfiando as mãos em meus bolsos a procura do dinheiro.

– Finalmente, estava cansado de suas enrolações. – Ele sorriu irônico.

– Eu não precisei me aproveitar do mal estado de ninguém para conseguir esse dinheiro.

Ele engoliu em seco, abandonando o cigarro em cima de algo.

– Twist você deveria aceitar a realidade de que você nunca será eu. – Soltei uma risada fraca. – E você sabe, assim como eu de que você não precisa desse dinheiro.

– Isso não muda o fato de você ainda me dever muita grana. – Ele arqueou uma de suas sobrancelhas. – Dei uma olhada na sua mina...

Katheryne? Ele não poderia saber de nós, ou dela.

– Deixe ela fora disso. – Cuspi.

– Calma Bieber. – Ele olhou em volta sorrindo. – To ligado que ela tem muito poder, grana... Acho que você poderia usufruir disso tudo.

– Eu jamais faria isso, não sou como você que tira proveito das pessoas..

– Olha como fala comigo. – Ele riu fraco.

– Ah qual é? ou você acha que eu tenho medo de você? – Retirei um cigarro de meu bolso, mantendo-o em meus lábios enquanto procurava pelo esqueiro.

– Deveria. – Ele resmungou.

– Eu não tenho, agora se você não tem mais nada pra falar comigo, eu to caindo fora. – Soltei a fumaça que prendia, indo em direção a porta.

Twist se virou para mim, me encarando incrédulo enquanto eu fazia meu caminho até a porta.

– Não se atrase com a próxima parte do dinheiro, não vou esperar para sempre.

Dei de ombros, ignorando completamente suas palavras. Twist era apenas um marginal que tentava ser melhor do que eu em tudo, e mais um pouco. Nunca conseguiu pelo simples fato de eu nunca ter dado moral pra ele. Ele me assusta as vezes, ele não é como eu, faz e fez coisas que eu jamais faria. Maldita hora em que eu fui me envolver com gente desse tipo.

POV Katheryne

Andando sem rumo pelo palácio, encontrei Ryan por acaso na cozinha, flertando com a filha da empregada, ele não toma jeito mesmo.

– Atrapalho? – Eles ficaram surpresos, tomando uma certa distancia, um do outro.

– Não, que isso. – Ryan arrumou sua roupa.

A filha da empregada, lançou uma olhada a Ryan, e logo depois nos deu de ombros. Não me contive, e soutei uma risada, Ryan continuou a me olhar incrédulo.

– Não dava pra você chegar cinco minutos mais tarde? – Ele cruzou os braços.

– Você não toma jeito não é Ryan? – Coloquei a mão na cintura, balançando a cabeça em negação. – a cozinha não é lugar para isso.

– Oque faz aqui?

– Eu moro aqui. – Respondi como se não fosse obvio.

– Eu sei, mas não é comum encontrar você por aqui a essa hora. – Ele veio até mim sorrindo, e logo depois me abraçou.

– Olha quem fala. – Dei língua.

– Katheryne, por que não fazemos algo?

– Tipo oque? – Me fiz de desentendida.

– Não sei, temos o palácio todo para nós, podemos fazer tantas coisas. – Ele sorriu fitando o nada, provavelmente armando algo.

– Ryan, estou tentando sair de um castigo, não quero entrar em outro. – Cruzei os braços.

– Castigo? – Ele riu, por que isso era tão engraçado para as outras pessoas.

– Cala a boca Ryan. – O empurrei. – Para de rir, isso não tem graça.

– Não quando você é uma "Adulta" de 18 anos! – Ele destacou a palavra adulta, fazendo aspas com as mãos.

– HAHA – Forcei uma risada. – Vamos fazer alguma coisa?

– Oque vocês vão fazer? – Meu pai adentrou a cozinha com um sorriso em seu rosto.

– Nada, eu vou pro treino. – Ryan respondeu.

– Ryan! – O repreendi incrédula.

– Desculpa Katy, vamos deixar para outro dia. – Ele foi até a porta, e antes de sair piscou pra mim.

– Esse Ryan... – Balancei a cabeça negativamente.

– Filha, ele é realmente muito ocupado.

– Esse é o problema de todos vocês, estão sempre muito ocupados, nunca tem tempo para mim. – Sai da cozinha bufando.

Eles realmente eram assim, sempre ocupados, em tudo. Eu queria ter uma vida normal, pais normais, será que isso era pedir demais? Me tranquei no quarto, mas logo me lembrei do Cd, que eu havia deixado no escritório de meu pai.

– Mãe? – Abri a porta delicadamente, tendo a visão de seu quarto.

– Sim. – Ela retirava coisas de dentro de uma bolsa.

– Eu posso falar com você? – Retirei uma mecha de cabelo do meu rosto, aguardando pela sua resposta.

– Filha eu acabei de chegar de Dominica, estou um pouco cansada mas podemos conversar sim. – Ela sorriu. – Sente-se aqui. – Ela deu leves tapas em uma região de sua cama.

Fui até ela, e me sentei, respirei fundo a procura de palavras para começar o meu teatro.

– Então, eu quero falar com a senhora sobre o motivo do meu castigo.

– Pois bem. – Ela assentiu para que eu começasse.

– Naquele dia em que cheguei um tempo depois de Cody, eu fui até uma jornalista, uma das que estavam presentes na minha festa de noivado.

– E? – Ela arqueou as sobrancelhas aguardando a continuação.

– Eu fui buscar um dvd com ela. – Fiz uma pausa para acrescentar um certo drama. – Aonde... estava gravado grande parte de meu noivado. – Conclui aguardando sua reação.

– Katheryne! – Ela sorriu. – Por que está interessada por esse dvd?

– Por que... bem... – Mordi meu lábio inferior. – Acho que estou aprendendo a gostar de Cody.

– Querida, eu sabia que isso aconteceria mais cedo ou mais tarde. – Ela sorria constantemente. – Agora tenho certeza de que você está ansiosa para esse casamento?

– Ôh.. você não sabe o quanto. – Sorri forçado. – Mas então, estou livre do meu castigo?

– Ah claro, acho que vocês deveriam sair amanhã, ou ele poderia jantar aqui... – A interrompi.

– Sim, irei conversar com Cody para que possamos marcar algo, mas agora irei tomar um banho.

– Eu também irei fazer o mesmo, mas antes vem aqui. – Ela estendeu os braços.

Fui até ela, sentei em seu colo e nos abraçamos, parecia uma coisa tão inédita pra mim abraça-la daquela forma, então aproveitei cada segundo, por que apesar de tudo, ela é minha mãe, e eu a amo. Sai de seu quarto e fui direto para o meu, aonde preparei meu banho e fiquei lá por um bom tempo. Sai do banho enrolada em uma toalha, e estava indo direto pro meu closet, quando percebo que Justin estava entrando pela janela, mas como ele soube qual era o meu quarto? como ele conseguiu entrar? eu fiquei sem reação ao ver ele terminar de passar seu corpo pela janela. Quando ele me olhou, sorriu malicioso e lambeu os lábios oque me fez corar na hora...

CONTINUA

Desculpem a demora, sério mesmo, e que eu to magoada, meio triste slá, e eu não tava com cabeça pra postar, mas eu voltei, e eu espero que vcs gostem desse capítulo pq eu tentei fazer ele o mais grande possível. Mas enfim, comentem oque vcs acharam, e bem fácil da pra comentar em anonimo e não precisa daqueles códigos chatos. (P.S: Esse Twist vai ser a causa de muita treta nessa fic :x) beijos ;3















7 comentários:

  1. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadorei amora !!! continua please to amandooooooo to curiosaaa sera que vai ter parte hot no proximo ?? uiui heheh ;)@SwagDo_justin

    ResponderExcluir
  2. ta mt boa, quero ver qual vai ser as tretas do twist ha'... @Martinscelly

    ResponderExcluir
  3. OH...MY...GOD
    Que coisa perfeita!!
    Continua logo!!

    ResponderExcluir
  4. PERFEITO!
    continua anjo
    @h0raanhugs

    ResponderExcluir
  5. perfeitooooooooo lara
    @heykingdrauhl

    ResponderExcluir
  6. AMEI *-* CONTINUAAAAAAAAAA

    ResponderExcluir
  7. Divulga please
    http://iimaginebeliieber-
    br.blogspot.com

    ResponderExcluir