18 de mai de 2013

ALAYLM: Capítulo 9 - Fool me






– Quem é aquele cara esquisito?

Ele não me respondeu de imediato, na verdade ficou pensativo, seus olhos observavam o céu, quando pensei em abrir a boca para cobra-lo uma resposta, ele finalmente me respondeu.

– Ninguém Katy. – Ele disse ainda mirando seu olhar ao céu

– Ninguém? – Respondi o olhando incrédula.

– É só um cara que também corre em rachas.

– Oque você quer que ele faça? 

– Curiosa você né. – Ele riu.

– É, isso tava entalado aqui.

– Nada, é que ele... ele ficou com um carro meu uma vez e... – Ele gaguejava muito, não dava pra acreditar. – ele acabou com meu carro, só quero que ele arrume e me devolva. 

– Tem certeza? – Desviei o olhar.

– Tenho, por que? você não acredita em mim? – Ele parou de sorrir derrepente.

– Deveria? – Voltei a olha-lo.

– Sim, por que não?

– Por que você não parecia ter certeza ao falar aquilo. – Eu odiava mentiras, e queria que ele me falasse a verdade já que eu tinha a certeza de que aquela não é a verdade, mas a ironia disso tudo e que uma mentirosa odeia mentiras.

– É a verdade, você pode acreditar em mim Katheryn.

– Tudo bem, você pode me levar para casa? – Pedi mordendo meu lábio inferior.

– Por que?

– Eu tenho que ir! – Ele balançou a cabeça negativamente lambendo seus lábios.


– Tudo bem.

Entramos no carro, e estava tudo tão tenso, ficamos em silencio o caminho inteiro, mas quando paramos o carro na mesma rua que ele me deixou na primeira vez em que nos vimos, o silencio foi quebrado por ele.

– Por que você está assim? – Ele suspirou retirando as mãos do volante.

– Eu estou normal. 

– Não, não está. – Ele estava se alterando.

– Sim eu estou, agora se me permite, eu tenho que ir. – Abri a porta e ele segurou meu braço. 

– Katheryne... 

– Tchau. – Dei um tranco em meu braço me soltando e batendo a porta.

Andei rapidamente entrando finalmente no palácio, oque será que ele está escondendo de mim? isso não saia da minha cabeça até que fui retirada dos meus pensamentos pela voz feminina de minha mãe.

– Aonde você estava? – Ela perguntou cruzando os braços.

– Almoçando com o Cody? – Respondi como se aquilo fosse obvio. 

– Não, Cody chegou em casa a algumas horas, mas e você? aonde estava? – Como ela sabia? Vou me ferrar.

– Como você sabe? Quer dizer, eu estava... – Demorei pouco tempo para inventar qualquer coisa. – Não posso falar, vai estragar a surpresa. – Merda, que surpresa oque Katheryn? pra que diabos eu falei isso?

– A mãe do Cody disse que ele havia chegado a um tempo quando falavamos pelo telefone, escute Katheryn, sei que não há surpresa nenhuma, então quero que você suba até seu quarto, e não saia de lá até resolver me contar a verdade.

– Eu não sou uma criança, portanto, não preciso que você me der ordens. – Respondi fazendo com que ela cerrasse os olhos fixando seu olhar em mim.

– Eu sou a sua mãe, e te dou quantas ordens eu quiser, agora suba e não me responda assim nunca mais.

Eu queria e iria evitar o máximo controversas com minha mãe, não queria mais questionamentos, não queria mais atenção em tudo oque faço, então apenas dei de costas me redirecionando a escada e a deixando ali a me observar subir as escadas. Entrei no meu quarto me sentindo uma completa idiota e infantil, posso odiar mentiras, posso odiar que as pessoas me enganem mas aquela cena no veículo de Justin foi tão desnecessário quanto todas as perguntas de minha mãe cada vez que chego em casa. Eu não deveria ter exigido tanta informação, eu não deveria deixar que minha curiosidade transparecesse. Me joguei na cama suspirando aliviada ao estar em um dos únicos lugares aonde me sinto bem. Depois de muito tempo jogada naquela cama de uma forma confortável escutei chamados acompanhados de batidas na porta, Ryan me chamava ao outro lado da porta.

– Está aberta. – Gritei.

Ryan entrou se sentando na cama, me ajeitei o olhando sem entender o por que dele não está sorrindo, como de costume.

– Ryan? Aconteceu alguma coisa? – Questionei me aproximando dele.

– Aonde você dormiu na noite passada? – Engoli em seco.

– Como aonde eu dormi na noite passada?

– Não tente Katy, você pode enganar a mamãe, não a mim. – Só vi Ryan sério assim, no dia em que ele descobriu que eu e Christian havíamos nos beijado, ele exigiu explicações, achou que Chris só queria ser próximo a mim para se aproveitar e nunca mais o tratou normalmente.

– Como sabe? – Derrepente toda a minha familia anda me espionando ou oque?

– Meus carros tem rastreador, com quem você estava Katheryne? – Chamou de Katheryne, não é bom sinal.

– Eu não estava com ninguém, apenas sair para pensar, você sabe que eu estou meio que "estranha" quanto a esse noivado. – Ele entortou a boca.

– Você sabe muito bem que eu posso puxar mais informações no rastreador, não sabe? – Maldita hora em que eu peguei os carros de Ryan sem pensar.

– Tá Ryan, eu estava com Justin.

– Oque vocês estavam fazendo? – Ele fechou a mão em punhos.

– Nada, apenas conversando. – Conversando? não sei se deveria ganhar o prêmio de melhor atriz ou melhor mentira mal formulada.

– Conversando? – Ele riu pela primeira vez durante nossa conversa. – Katheryn, ele não é seu amante, ou é?

– Oque? Amante? – Forcei uma risada ao máximo para parecer sincera. – Não, mas mesmo que estivessemos tendo algo, ele não seria meu amante, eu e Cody não somos nada um do outro, isso é apenas um teatro, uma novela, não tem nenhum significado real, é apenas faixada.

– Eu sei mas, prefiro que você não se envolva com Bieber. – Ele balançou a cabeça negativamente.

– Por que?

– Katy, ele não é pra você. Bieber tem mulheres aonde quer que ele vá, agora mesmo, passei em frente a um bar aonde ele estava se comendo junto com uma loirinha. – Ele riu e eu ri sem humor sentindo o ódio queimar em minhas bochechas.

Filha da puta, ele tava com a Mia, então e isso que ele faz quando não está comigo? e eu que realmente achava que significava algo para ele.

– É eu sei como ele é, mas pode ficar tranquilo, eu vou ficar bem longe dele.

– Assim espero. – Ele passou as costas de sua mão em meu rosto. – E não durma mais fora de casa mocinha, ou você vai ter problemas. – Ele me fez rir.

– Pensei que meu pai era o Martin. – Ele riu.

– E é, mas estou aqui pra fazer oque ele não faz.

– Acho que você será um pai muito chato. – Dei língua.

– E você uma mãe desnaturada.

– É, isso é verdade. – Rimos.

– Vamos, na verdade eu vim aqui pra te chamar para jantar.

– Não estou com fome.

– Acho melhor você não desafiar nossa mãe. – Ele se levantou indo até a porta.

– Tá, eu vou. – Bufei me levantando da cama.

POV Justin.

Já estava de saco cheio de tanto aguentar a Mia forçando a barra, aquela vadia me beijou e até agora tá aqui em cima de mim falando a horas. Eu estava bebendo um pouco, tentando entender o por que da Katheryn ter ficado daquela maneira comigo, acho que ela percebeu que eu inventei a primeira coisa que me veio na cabeça. Ela não pode saber a verdade, oque ela iria pensar de mim?

CONTINUA


Hey gostaram? comentem, oque vcs acham que o Justin aprontou?
To fazendo um concurso para escolher novas autoras ao blog, quer participar? mais informações clica AQUI! Também comecei uma nova fanfic espero que gostem, confira clicando AQUI Obg por sempre comentarem, e obg pelo carinho vcs são umas pftas <3





5 comentários:

  1. aaaaaaaaaaaaiiiiin continuuuuaaaa pf! pf!!!!
    @Martinscelly

    ResponderExcluir
  2. que perfeitoooooooooooo !!! to amando demais continuaaaaa @swagDo_Justin :D

    ResponderExcluir