4 de abr de 2013

ALAYLM: Capítulo 2 - I can feel your body rock



– Você não precisa me tratar assim, eu também não quero esse casamento. – Ouvir aquilo me surpreendeu.

– Jura? – Larguei o celular e olhei para ele surpresa.

– Sim, mas... não é nada pessoal, você é linda e também parece ser uma ótima garota.

– Tudo bem. Eu pensei que você ia ser um chato que iria querer que eu te amasse e... credo. – Revirei os olhos e ele riu.

– Quem se casa aos 18? 

– Isso que eu queria que minha mãe entendesse isso! – Rimos.

– As vezes eu acho que agente podia escolher com quem agente queria casar, sendo ela da realeza ou não. 

– Concordo, mas por que? alguém em especial senhor Cody? 

– Oque? não não... ninguém em especial. – Ele tentou disfarçar mas da maneira que ele disse, ele se entregou completamente.

– Tá, vou fingir que não tem ninguém. – Dei língua.

– Séria fácil me casar com você. Você é divertida e é... fácil gostar de você. – Ele disse sem jeito.

– Acho que você é a unica pessoa que acha isso... a mídia me acha problemática, assim como minha mãe, e o resto das pessoas, me acham louca. 

– Eles não te conhecem. 

– Você NÃO me conhece. – Percebi que isso o assustou um pouco. – Mas eu não sou nenhuma maluca tá, não precisa ficar assim. 

– Assim como? – Ele abriu um sorriso de lado.

– Assim... Bonito seu cabelo. – Baguncei um pouco seu cabelo, estava lambido demais. – Sua mãe que fez?

– Oque você acha? – Ele riu.

– Olha a minha roupa, eu estou parecendo uma barbie. – Ele riu.

– Sua mãe é mais maluca que a minha? – Ele perguntou humorado.

– Com certeza! – Respondi sem pensar duas vezes.

O silencio voltou. Cody era bonito, humorado, simpático mas ainda sim... sinto que eu não iria ser feliz nesse
casamento. Mas também percebi que eu e Cody teriamos uma ótima amizade.

[...]

(Outro dia, 23h da noite)

Noite tediosa, ninguém para conversar... eu andava sem rumo pelos corredores do palácio. Meus pais dormiam, ou só a minha mãe, meu pai é um homem muito ocupado. Percebi que Ryan andava por ali o mais depressa possível, ele parecia se esconder.

– Ryan! – Gritei enquanto corria em sua direção, era muito difícil encontrar Ryan durante o dia.

– Shhh... – Ele me pedia silencio enquanto me abraçava. – Dá pra ser um pouco mais discreta?

– Por que? você tá indo aonde?

– Eu? – Revirei os olhos. Não Ryan, eu! –  Eu não estou indo a lugar nenhum...

– Posso ir também?

– Ir aonde Katy? eu já disse que não vou a lugar nenhum.

– Eu não sou boba Ryan! – Disse irônica.

– É... infelizmente não. – Ele riu e eu o dei língua.

– Posso ir também! – Falei super fofa.

– Não. – Ele negou sem pensar nem um pouco.

– Por favor, eu nunca saio daqui. – Dei uma de coitada.

Ryan ficou pensativo, mas depois me deu um beijo na testa.

– Se arrume e me encontre aqui mesmo! – Ele ordenou.

– Aonde vamos?

– Vai logo Katy! – Ele ordenou novamente.

Corri silenciosamente até meu quarto, escolhi um vestido para noite, coloquei um salto, soltei meu cabelo e me maquiei. Quando voltei ao corredor, Ryan andava impaciente de um lado para o outro.

– Pensei que iria demorar mais algumas horas.

– Eu também! – Rimos.

– Vamos! – Ele segurou a minha mão e foi me guiando pelos corredores.

Ryan me levou até a garagem submersa, aonde ficava a sua coleção de carros esportivos. Havia carros de todas as cores e marcas, ele escolheu o menos chamativo e saímos dali tranquilamente. Ele dirigia tranquilamente pelas ruas da Inglaterra. A cidade era iluminada e frequentada anoite, aquela era uma das poucas vezes que eu saía do palácio anoite. Ryan era o meu irmão mais velho, ele era como eu em quase tudo. Era muito difícil encontra-lo durante a semana, ele fazia treinos preparativos, cavalaria e uma série de outros esportes, o que o mantinha ocupado a maior parte do tempo, então ele aproveitava a noite para sair, encontrar amigos e fazer sei lá oque. Ryan passou a dirigir mais rápido, ele estava concentrado e vez ou outra cantarolava certa parte de algumas musicas enquanto eu cantava quase todas as musicas que passava no rádio. Ele estacionou o carro em frente a uma balada, nunca imaginei que ele gostasse desse tipo de festa.

– Tente não chamar muita atenção. – Ele disse enquanto entrava a minha frente.

– Ok. – Respondi enquanto olhava em volta.

Aquele lugar havia pessoas conversando em algumas mesas, algumas fumando cigarro e outras drogas, a maioria delas bebendo, prostitutas andando de um lado para o outro e uma enorme pista de dança, ela era perfeita e eu pretendia me acabar nela aquela noite.

– Não se meta aonde não deve, não use drogas e não exagere na bebida. – Ele ainda caminhava na minha frente.

– Eu não sou criança Ryan! – Respondi com dificuldade já que a musica estava muito alta.

Ryan encontrou alguns amigos e ficou ali mesmo com eles, eu estava ao seu lado, me sentindo sozinha mesmo naquele lugar cheio de gente. Olhei em volta para ver se conhecia alguém mas sem sucesso. Peguei uma bebida e fui até a pista de dança, havia tempo que eu não dançava, era uma coisa que eu amava, sentir a batida das músicas, eu estava cansada de ouvir musica Clássica, Opera, Jazz e outros tipos de música que eu era obrigada a ouvir. Fui adentrando a pista de dança, eu estava um pouco tímida pois eu estava sozinha em meio a tantos casais e conhecidos. Comecei a dançar, me soltei ali mesmo, era como se eu estivesse sozinha.

POV Justin.

A atenção de quase todos daquela pista de dança estavam em cima de uma garota que dançava loucamente.   Me aproximei dela e me surpreendi ao vela dançar, ela chamava atenção pelos seus movimentos, pelas suas curvas e pela sua beleza. Ela parecia não ligar a atenção que estava recebendo, continuava a dançar como se fosse a ultima e unica vez. Me aproximei dela e comecei a acompanhar seus passos/movimentos, ela não deu a minima importância. Não consegui ver seu rosto, as luzes atrapalhavam.

POV Katheryn.

Eu dançava na companhia de um garoto que exalava seu perfume por toda a pista, ele acompanhava meus passos/movimentos e dançávamos loucamente ao som de Scream and Shout. Quando a música acabou, percebi que todos nos olhavam que aquele garoto me puxava para longe da pista e das luzes. Pude ter a percepção de que eu já o conhecia.

– Katheryn? – Justin perguntou surpreso.

– Justin!

– Oque tá fazendo aqui!

– Me divertindo e você? – Respondi irônica.

– Divertindo? vamos embora isso não é lugar pra você. – Ele começou a me puxar até a entrada.

– Ei ei... – Me soltei e Justin não me deixou terminar de falar.

– Viu a quantidade de drogas que tá rolando por ai? Você é maluca isso sim.

– Eu to com meu irmão e... desde quando você se importa comigo?

– Medo da sua fada madrinha. – Ele brincou.

– Cara, é sério isso não tem graça. – Lancei um olhar negativo.

– Katy oque eu disse sobre chamar atenção? – Disse Ryan se entrometendo.

– Desculpa, eu só queria dançar.

– Vocês já se conhecem? – Ele olhou para mim e para Justin.

– Digamos que já nos vimos. – Respondi sem certeza.

– Cara você trás sua irmã para lugares como esse? – Justin o olhou incrédulo.

– Qual o problema? – Ri pelo nariz e Justin me olhou sério.

– Viu a quantidade de Bebidas e Drogas que tem aqui? – Justin olhava em volta.

– Katy não está usando drogas, e as bebidas... ela não é nenhuma criança! – Ryan disse sem dar importância. – Katy eu vou estar ali, quando quiser ir embora! – Ele sorria para alguém – Ah e se cuida  bebê! – Ele disse irônico enquanto apertava minhas bochechas e eu revirei os olhos.

Ficamos em silencio por um tempo, me sentei na mesa que estava ao nosso lado, servi uma bebida em duas taças que haviam ali em cima e Justin logo se sentou.

– Você dança muito! – Disse ele antes de dar um gole naquela bebida.

– Você acha? – Sorri.

– Acho... – Ele retribuiu o sorriso.

– Você também dança muito, e... seu perfume... é maravilhoso. – Dei um gole na bebida. – O Chaz não veio?

– Veio.

– Cadê ele?

Justin abaixou a cabeça e riu. Eu o olhava sem entender nada, uma prostituta passou por trás de Justin, ele ergueu uma das sobrancelhas e fez algo com o olho. Eu entendi perfeitamente oque ele quis dizer foi uma coisa tipo "Está por ai com uma dessas".

– Bleh. – Eu o olhava com nojo.

– Oque? – Ele riu – Somos homens... temos necessidades!

– É mas... sei lá. – Justin ria.

– Você tá parecendo uma criança que acaba de descobrir que isso existe. – Ele continuava rindo da minha cara.

– Chaz é tão bonito, não precisa desse tipo de coisa.

– Como assim "Desse tipo de coisa"? – Ele fez aspas com os dedos.

– Você entendeu. – Dei uma ultima golada naquela taça e a deixei na mesa.

– Você bebe muito para uma garota de 16 anos. – Ele umidificou seus lábios com a língua, uma coisa que o deixava sexy.

– Oque? – Não consegui segurar o riso – Eu tenho 18.

– Hm... – Ele sorriu malicioso...

– Katy vamos embora! – Ryan disse impaciente. – Tem gente tirando fotos.

– Fodeu, vamos! – Me levantei. – Espera... Justin me da seu celular.

Ele retirou o celular do bolso e me entregou, digitei meu numero rapidamente, tirei uma foto minha para identificar o contato e o entreguei.

– Vamos Katy! – Ryan me apressava.

Dei um beijo molhado no rosto de Justin e sai atrás de Ryan, que eu já estava perdendo de vista, Justin ficou ali segurando seu celular sem entender nada. Entramos no carro as pressas e Ryan saiu dali rapidamente...
CONTINUA
Oque estão achando? comentem ai <3 
Coloca seu user nos comentarios para ser avisada dessa Fanfic (Também aceito Link de FB)


Bjx :3




2 comentários:

  1. aaaaaaaaaa que perfeito cara essa deve ser uma das melhores ib's que eu ja li continua amora e me avisa @biebspontocom

    ResponderExcluir